vacinas.com.pt

|
AAA
 

Bacteria

A doença meningocócica é provocada por uma bactéria denominadaNeisseria meningitidis ou meningococo. Existem 13 serogrupos identificados mas apenas 5 estão geralmente associados a doença: A, B, C, Y e W135.

Em Portugal foram registados entre 200 a 400 casos/ano de doença meningocócica nas décadas de 80 e 90. Os serogrupos B e C eram os mais frequentes no nosso país. O serogrupo A tem estado frequentemente associado a epidemias em África, sobretudo na região que se estende da zona Sub-saariana do Senegal à Etiópia. O serogrupo W-135 tem sido responsável por surtos na Arábia Saudita e na África Sub-saariana. Têm sido descritos surtos de doença meningocócica causados pelo serogrupo B na Nova Zelândia, França, Oregon e na América Latina. Nos Estados Unidos da América os serogrupos B, C e Y são os mais frequentes.

Esta bactéria pode provocar doença grave, como meningite e sepsis. A transmissão é efectuada por via respiratória, exigindo contacto directo e próximo. Está presente na nasofaringe de cerca de 10% da população sem causar sintomas, constituindo a fonte mais comum de transmissão. Pode surgir em qualquer idade, com predomínio nas crianças mais jovens.

Os sintomas manifestam-se geralmente de forma súbita: febre, mal-estar, prostração e rash cutâneo que pode ser maculopaular na fase inicial e se torna tipicamente petequial ou purpúrico. A progressão da doença pode ser rápida ou fulminante. Cerca de 25% dos casos cursam com sepsis (meningococemia) que pode ter mortalidade elevada (até 40% dos casos). A meningite surge em cerca de 15% dos casos com 5% de mortalidade. Pode ainda causar pneumonia (especialmente o serogrupo Y) ou bacteremia oculta.

A sepsis e a meningite meningocócicas são emergências médicas. O tratamento efectua-se com antimicrobianos e medidas de suporte de acordo com o estado clínico da criança. Pode ser necessário suporte avançado de vida.

As crianças afectadas podem sofrer sequelas graves como amputações de membros, surdez, atraso mental ou convulsões.

Doentes com meningococemias recorrentes ou causadas por serogrupos não habituais devem ser avaliados do ponto de vista imunológico, nomeadamente para pesquisa de deficiências do complemento.

A prevenção da doença meningocócica é efectuada através da vacinação.

Em 2001 foram licenciadas vacinas conjugadas contra o meningococo C em Portugal. Em Janeiro de 2006 estas vacinas foram introduzidas no Programa Nacional de Vacinação com administração gratuita aos 3, 5 e 15 meses de idade. Desde Janeiro de 2012 o esquema de administração foi modificado para uma dose única aos 12 meses. Discute-se actualmente a necessidade de uma dose de reforço na adolescência.

Existem também vacinas tetravalentes conjugadas que englobam os serogrupos A, C, Y, W-135. A sua administração está recomendada a viajantes para áreas onde estes serogrupos são endémicos e em casos de imunodeficiência. A EMA aprovou recentemente a sua utilização a partir dos 12 meses de idade.

Estão em curso ensaios com vacinas contra o meningococo do serogrupo B.

As autoridades de saúde publica devem ser alertadas quando surgem casos suspeitos de doença meningocócica, no sentido de planear a prevenção de casos secundários. Os contactos próximos e os profissionais de saúde expostos devem efectuar quimioprofilaxia

A doença meningocócica é de declaração obrigatória. 

Dra. Laura Marques
Centro Hospitalar do Porto

 

|
AAA