vacinas.com.pt

Doença por Haemophilus influenzae tipo b

|
AAA
 

O Haemophilus influenzae (Hi) é uma bactéria responsável por significativa morbilidade e mortalidade em todo o mundo, especialmente em crianças com menos de 5 anos. Existem vários tipos de Hi, no entanto, na fase pré-vacina a doença grave era causada principalmente pelo Hi tipo b (Hib).

O Hi vive na orofaringe das pessoas mas nem sempre causa doença, essas pessoas são aquelas que denominamos de portadores assintomáticos ou seja, sem sintomas. As crianças em idade pré-escolar são o grupo que tem a mais elevada percentagem de colonização da orofaringe. A transmissão da doença ocorre por gotículas respiratórias. Os factores de risco para uma pessoa desenvolver doença são: idade inferior a 2 anos, baixo nível socioeconómico, viver em locais com elevada densidade populacional, sofrer de uma doença de base como imunodeficiência, infecção VIH, doença do sangue, não ter baço, ou ter uma infecção viral nos dias anteriores. O aleitamento materno, nas crianças abaixo dos 6 meses, protege da doença invasiva por Hib.

O Hi causa doença no tracto respiratório, tal como otite média, sinusite, pneumonia e bronquiolite, a maioria causada por Hi não capsulados. A doença grave, invasiva é geralmente causada pelo Hib, nas crianças com menos de 2 anos e inclui: meningite, habitualmente grave com uma importante taxa de sequelas neurológicas (15 a 30%); epiglotite, uma infecção grave com marcado edema e inflamação das cordas vocais e tecidos circundantes; infecção articular ou óssea; infecção da membrana que cobre o coração; abcessos dos tecidos moles e do tecido celular subcutâneo; bacteriémia que é uma invasão do sangue pela bactéria causando doença generalizada.

A doença invasiva implica um diagnóstico precoce e a instituição de terapêutica com o antibiótico adequado, já que o Hib é muitas vezes resistente a várias famílias de antibióticos.

Com a administração de rotina da vacina contra o Hib, houve um marcado declínio da doença invasiva causada por este agente. Infelizmente a vacina não está disponível para aproximadamente 75% das crianças, sobretudo aquelas que vivem nos países mais pobres, onde ocorrem anualmente 3 milhões de casos de doença invasiva a Hib e pelo menos 400.000 mortes. Por esta razão a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendou, recentemente, a implementação global desta vacina nos Programas Nacionais de Vacinação, excepto nos casos em que o impacto da doença fosse baixo, sem benefícios ou com fortes impedimentos à sua implementação.

Dra. Filipa Prata

 

   Dra. Filipa Prata
   Unidade de Infecciologia Pediátrica, Hospital de Santa Maria, Lisboa

|
AAA